Histórias dos nossos VWs - 19

 _
"Um Fusca, duas loiras e um destino"
Autora: Rose
História publicada no Blog http://aloiraeofusca.blogspot.com/
 _

Queria eu, seguir uma ordem cronológica das histórias... mas tem hora que algumas delas vem na cabeça tão forte. E por isso compartilho hoje com vocês (também para compensar as duas semanas que não postei nada :/) uma das maiores aventuras que o herbie já me proporcionou...

Planejamento. Esses dias alguém me falou sobre a importância de planejar as coisas, para uma vida plena, saudável, uma carreira de sucesso, etc... Mas aí eu me perguntei: e pra ser feliz? É tão necessário assim planejar? Sendo que as coisas que nos fazem sorrir e nos proporcionam momentos bons e ótimos muitas vezes são aquelas que nos surpreendem... ou seja, as quais não planejamos. Dessa forma e por esse pensamento é que resolvi levar a vida mais free enquanto funcionar, exceto no trabalho, onde planejar é também uma exigência.

Sabe quando você coloca na cabeça que não pode fazer algo?
Acaba nunca fazendo nada por pensar assim.

Eu não iria no Planeta Atlântida, muita grana, muita mão ir até lá, e onde eu ficaria esses dois dias? Não, sem chance, nem pensei na hipótese. Exigiria muito.
A amiga aventureira me perguntou umas muitas vezes se eu iria... eu: NÃO! Uns três dias antes refleti mais a fundo sobre a situação, e cheguei a conclusão de que pra muitas coisas na vida, basta querer, basta uma atitude positiva e alguém com quem se possa contar.
Não conseguimos topique, não conseguimos alugar lugar nenhum... tínhamos a vontade e os ingressos.
E que tal irmos de fusca? Sim, o Herbie pow!!!
Aquele mesmo, cujo velocímetro não funciona e as sinaleiras vivem queimando...
O trajeto é longo, mas a vontade e a coragem eram maiores.
Que os pais da copiloto nunca leiam este post.

Mas é, duas loiras,
muita comida de besteira,
algumas mochilas,
uma coberta e dois travesseiros,
poderíamos dormir no fusca uai. =D

O sol já tinha se escondido de nossos olhos cintilantes e sorrisos ofegantes pela aventura. Seguimos o cruzeiro do sul e minhas vagas lembranças do caminho da praia. Não poderia ser tão difícil chegar lá.

Ao som do celular e o que dava para ouvir entre o barulho do motor, seguimos o fluxo. Sim, já era de se esperar que queimasse a sinaleira.
E se alguém passasse por nós e gritasse: GURIAAAS, A SINALEIRA TAH QUEIMADA! ? Ficaríamos envergonhadas? Não, diríamos: MAS O FAROL TAH ACESO com muito orgulho!


Tudo podia dar errado segundo a teoria do planejamento. Mas isso é o que dava mais adrenalina e emoção ao momento. (Estou rimando ou é impressão minha? No próximo post vou escrever um poema oeheoeiheoieh)
Tirando o gato preto que cruzou nosso caminho naquela noite de sexta-feira que não era 13 eoiheioeheoihe o resto ocorreu tudo conforme o não planejado, mas desejado trajeto.
Sentindo-nos únicas chegamos de Herbie... e alguém falaria algo por a gente não estar de carrão? pfff estávamos lindas tomadas de felicidade por estar lá, e mais ainda por ter chegado lá.

Fizemos nossa parte e aproveitamos muito cada momento daquela noite, mas é chegada a hora de seguir rumo ao descanso para mais um dia. Seguir para onde? Acaso, sorte ou Deus, encontramos uma galera shooow que nos convidou pra fazermos parte do grupo e nos ofereceram um colchão inflável magnífico. Agora o herbie tinha mais amigos, que queriam, sim queriam *-* ir de carona com a gente.

Acho que eu exigi de mais do Herbie, andamos muuuuito por lá, muito mesmo... Eram trechos com quebra-molas de 100 em 100 metros, eram trechos com muuuuuita água, era chuva, era sol, era gente rindo, gente gritando, gente animada, gente dormindo, gente assustada com a quase batida, gente tirando um cochilo nele, tentando dirigir hahaha. Mas ele sobreviveu até mesmo ao retorno. Levou duas loiras e trouxe mais três passageiros e muuuuita bagagem, até hoje não sei como fizemos caber tudo. Entre podres, cansados, contentes e animados, restaram as histórias e as lembranças que sempre estarão naquela lata marcada, naquele porta-luvas com coisas estranhas, naquele baú, naquele assoalho que já teve areia, água, terra... naquela pena laranja que ocupa um buraquinho no painel... mas essa já é outra história...

Planejar?
Planeje ser feliz.

Como?

Faça a sua parte e o resto deixa pra vida!

Fica a dica ;)
e também o agradecimento às gentes da história
BRUNAdiogoBRUNOdiogerDUDAcarolHENRIQUE

Muitos beijos da Loira do Fusca ;*